O adeus repentino a Rodrigo Ancioto

By 5 de maio de 2020 Reportagens
Publicidade

Rapaz tinha 23 anos e era morador de Assis Chateaubriand

Um rapaz bem na dele, reservado, mas, ao mesmo tempo, era engraçado, sempre fazendo brincadeiras e sorrindo. Assim os amigos de Rodrigo Ancioto resumem como ele era. Com 23 anos, ele era um homem trabalhador, funcionário da Cepain Telecon e, nas horas vagas, gostava de andar de skate. Mas no sábado (2) à tarde, ao tentar salvar a vida de seu cachorro, que tanto amava, foi levado pelas traiçoeiras águas do Rio Piquiri, no Recando dos Apertados, em Formosa do Oeste.

Com a forte estiagem que ocorre na região, o local turístico, que é belo e perigoso ao mesmo tempo,  atrai visitantes de toda a região. Famílias inteiras encontram no espaço um refúgio, um alento diante da situação vivida pela pandemia. Com o nível baixo das águas, a grandiosa paisagem de pedra esconde as armadilhas dos Apertados.

Na estiagem, local recebe visitantes de toda a região (Foto: Gustavo Pimentel)

Por volta das 17h daquela tarde de sábado, o cachorro de Rodrigo entrou no rio e foi levado pelas águas. Em um ato de desespero e de coragem, Rodrigo tentou nadar para salvar seu cão. Com a força da correnteza e com muitas pedras pelo caminho, o jovem não conseguiu mais voltar, somente o cachorro. A cena foi presenciada por várias pessoas que visitavam o local. “Ele passou próximo a nós. O rapaz emergiu da água várias vezes. Os familiares tentaram salvá-lo, mas não conseguiram”, disseram testemunhas.

Recanto dos Apertados fica em Formosa do Oeste

A partir desse momento, populares acionaram o Corpo de Bombeiros. Os trabalhos contaram com o auxílio de pescadores e voluntários. Com a estiagem e o nível baixo do rio, as equipes de buscas encontraram dificuldades para acessar alguns pontos do rio de barco, segundo os bombeiros. O corpo foi encontrado boiando na manhã desta terça-feira (5), próximo ao local onde ele havia caído, ainda na região dos Apertados, após a corredeira. O velório irá acontecer a partir das 16h de hoje e o sepultamento no fim do dia, por volta das 18h, no Cemitério Jardim da Paz, em Assis Chateaubriand.

Amigos dizem adeus
“O Rodrigo sempre foi um dos mais extrovertidos do grupo. Foi uma das pessoas que marcaram minha vida por viver comigo a minha melhor fase, que foi o ensino médio. Sempre lembro dessa época com muito carinho e saudade das vezes que nos reuníamos para comer e ver filmes, enfim, mas nunca pensei que um dia lembraria disso tudo com tristeza. Ele era um cara muito gente boa, que ‘zoava’ todo mundo, mas sempre que podia ajudava também, e sempre vai ter seu lugar na minha memória. Sinto-me muito triste de ter que reencontrar meus amigos de colégio para se despedir de um de nós. Espero que Deus receba de braços abertos” – Andressa Michelin.

“Ele era uma pessoa incrível com uma luz linda, uma pessoa sem maldade no coração. Era sempre alegre com a vida, brincalhão e divertido” – Geovanna Caroline Cardoso.

“Foi o cara mais educado que tive o prazer de conhecer, o coração puro e um amigo fiel. Você foi especial para todos nós. Juntos vivemos momentos inesquecíveis; você me acolheu e foi parte da nossa família. Esteja onde estiver, você foi marcante” – Marlon Aguiar.

“O Rodrigo sempre foi aquele amigo mais engraçado da nossa turma, que brincava com todo mundo, sempre estava sorrindo, uma pessoa de coração enorme. Estudamos juntos desde a 3° série do Odila até o 3° ano do ensino médio. Brincávamos muito na chácara e, no ensino médio, sempre nos reuníamos para conversar, fazermos a nossa janta com os ‘Descolados’ e ele sempre brincando e fazendo nós darmos risada. Eu me sinto mal por estarmos nos reunindo novamente o nosso grupo por uma coisa ruim. Quero sempre lembrar dele com aquele sorriso e brincalhão, seja onde ele estiver” – Amanda Michelin.

Crédito do vídeo: Repórter Carlos Corujinha

CompartilharShare on whatsapp
Whatsapp
Share on facebook
Facebook
Publicidade
A cópia sem autorização é proibida. Para reprodução do conteúdo, entre em contato conosco.