Ataque a tiros em escola de SP deixa aluna morta e três feridos

By 23 de outubro de 2023 Reportagens
Publicidade

Por Portal Metrópoles 

A Escola Estadual Sapopemba, na zona leste de São Paulo, foi alvo de um ataque a tiros na manhã desta segunda-feira (23/10). Uma aluna de 17 anos baleada na cabeça morreu e outras duas ficaram feridas. Um quarto estudante se machucou ao cair enquanto tentava fugir.

A polícia deteve um suspeito. O adolescente é aluno do 1º ano do ensino médio e tem 16 anos. Segundo testemunhas, ele seria alvo de bullying por parte de colegas da escola. Outro jovem está foragido.

De acordo com a Polícia Militar (PM), houve disparos de arma de fogo dentro da unidade, que fica na Rua Senador Nilo Coelho. As vítimas ainda não foram identificadas. Houve corre-corre na escola e muita gritaria, segundo testemunhas.

“Começou com dois barulhos de bomba. Pessoal gritando, saindo correndo. Eu pensei: ‘Meu Deus, deve ter acontecido alguma coisa’”, disse uma professora ouvida pelo Metrópoles.

“Tentamos trancar a porta, mandamos todo mundo sair. Saímos correndo, batendo nas portas das salas de aula para todo mundo sair. Caí da escada e machuquei o joelho. Foi desesperador demais, fiquei em pânico”, contou a docente.

O jovem detido foi levado para a delegacia do bairro. A notícia se espalhou rapidamente pela região, e pais de estudantes, desesperados, foram para a frente da escola buscar seus filhos.

Um helicóptero Águia da PM e várias viaturas da corporação foram mobilizados. O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, chegou ao local por volta de 9h30.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), falou sobre o crime nas redes sociais. “Há pouco, um ataque com arma de fogo atingiu três inocentes numa escola estadual em Sapopemba. Infelizmente, tivemos a confirmação de uma morte. Meus sentimentos aos amigos e familiares neste momento de dor. Torço pela pronta recuperação dos feridos socorridos ao hospital do bairro. A Polícia já prendeu o atirador. Estou em contato com o Estado para oferecer o suporte necessário”, postou.

Em nota, o governo de São Paulo lamentou o episódio e se solidarizou com as famílias das vítimas. “Neste momento, a prioridade é o atendimento às vítimas e apoio psicológico aos alunos, profissionais da educação e familiares”, informou.

CompartilharShare on whatsapp
Whatsapp
Share on facebook
Facebook
Publicidade
Don`t copy text!